Voltar a todos os artigos Voltar a todos os artigos

Como não ser o típico turista

Ada Kozłowska

Nunca me hei de esquecer a primeira vez que vim a Lisboa. Foi um fim-de-semana em que deambulei por todos os pontos na lista de qualquer turista que se preze. Comi Pastel de Belém e passeei pela zona, apreciando a torre de Belém e o Mosteiro dos Jerónimos, fui até ao Oceanário, enfim, percorri toda a minha lista de locais que não podia perder. 

Há uns anos tive o prazer de vir viver para Lisboa e percebi que esta Lisboa em que vivo, não é a mesma que conheci em visitas pontuais.

Sempre me diverti bastante mas percebi que afinal de contas não fiquei a conhecer a cidade como é verdadeiramente. Perdi os miradouros com vistas incríveis, os terraços de grandes e pequenos hotéis, as ruelas de alfama e fado à desgarrada que por entre pequenos espaços vamos encontrando. Porquê? Sinceramente, porque não conhecia melhor.

Desde esse momento, jurei a mim mesma nunca mais voltar a perder a verdadeira essência de uma cidade.

Queres garantir que não farás os mesmos erros que eu? Então vê como como não ser um “típico turista”.

  

Descobre sobre o que é que a cidade é conhecida

Todas as cidades têm atrações turísticas mas nem sempre é disso que as cidades mais se orgulham. O Padrão dos Descobrimentos por exemplo, é um dos sítios mais conhecidos para visitar mas os locais dir-te-ão que Lisboa é muito mais que isso.

Na próxima vez que planeares uma viagem vai para além do guia turístico e descobre do que a cidade é conhecida – com outros turistas e locais. Assim poderás descobrir a verdadeira essência da cidade.

 

Pergunta aos locais

Uma vez estava a arranjar o cabelo para um casamento no Algarve. Conversa puxa conversa e descobri que tanto eu como a cabeleireira éramos grandes fãs de corrida. A senhora indicou-me os melhores percursos para correr, pela Ria Formosa, pelos campos de golf. Caminhos que nunca teria descoberto sozinha. Conversar com locais traz sempre grandes frutos no que toca a conhecer os segredos mais escondidos das cidades. 

Quando conheceres locais, pergunta o que gostam de fazer nos tempos livres na sua cidade. De certeza que grande maioria deles não estará nos guias turísticos.

 

Dica: Por mais aventureiros que possamos ser, temos de ter em conta a segurança dos sítios que visitamos. Pode acontecer que fora das zonas turísticas seja de facto perigoso para estrangeiros. Segue as digas de quem conhece a região mas tem sempre o factor segurança em consideração.

 

Faz um plano à volta do que mais gostas de fazer

Quando viajamos achamos que temos de ver tudo o que leva turistas àquele local.

Apesar de ser fantástico conhecer todos os monumentos e atrações do país poderás também focar-te naquilo que gostas de fazer habitualmente.

Por exemplo, eu adoro esplanadas (tanto que passo muitos dos meus fins de tarde depois do trabalho numa ou a tentar descobrir novas para disfrutar). Posto isto, quando visito um sitio novo tento descobrir as esplanadas preferidas dos locais e quais aquelas com melhores vistas.

Com isto conheci pessoas diferentes em várias cidades, questionei hábitos, quais as praias mais desertas, qual o melhor bar para ir à noite, experimentei petiscos e bebidas que de outra maneira talvez não fizesse.

E tu? Talvez gostes mais de vinho, parques, arte, ou outros interesses. Sejam eles quais for, na tua próxima viagem pesquisa sobre isso mesmo. De certeza que terás uma excelente experiência. E se não, pelo menos conheceste algo novo.

 

Tem em consideração os hábitos locais

O Ser Humano é feito de rotinas. Se pensares por uns minutos perceberás que inconscientemente criaste rotinas no teu dia a dia: o que comes, a que horas, como trabalhas ou falas com outras pessoas.

Contudo, quando viajamos temos que deixar alguns destes hábitos de lado.

Podemos ficar frustrados porque em Madrid várias lojas estão fechadas a meio da tarde ou podemos assumir que são umas horas para relaxar no parque depois de almoço. Podemos resmungar com as doses da comida em França comparado com Portugal ou podemos apreciar a tão famosa cozinha francesa.

Já me aconteceu ficar chateada em diferentes situações mas algumas viagens depois fui sendo capaz de me adaptar mais rapidamente aos costumes locais das diferentes cidades e países.

Todos gostamos de receber turistas na nossa cidade – traz receita para o país, cria emprego e é muitas vezes uma situação de orgulho. Contudo, quando não respeitam os nossos hábitos pode até ser algo desagradável. Não seja um “desses turistas” quando viajar.

 

Desejamos umas excelentes férias e deixamos umas dicas finais: Manter a mente aberta! Explora para além da tua zona de conforto e faz muitas perguntas. De certeza que assim viajar vai ser sempre um prazer!

 

Imagem: Vladimir Kudinov

 

 

Receba uma indemnização pelos voos atrasados, cancelados ou sobrelotados dos últimos três anos.

Verifique o seu voo

Saiba tudo em 3 minutos